Contaminação e a limpeza de caixas d’água: o que você precisa saber!

Além dos quesitos legais, a limpeza de caixas d’água e a higienização de reservatórios é essencial para a manutenção da qualidade da água utilizada em diversas atividades nas empresas, indústrias, hospitais e escolas.

Com o tempo, pode ocorrer a degradação de partículas e incrustações nas superfícies internas dos reservatórios. Quando não removidas periodicamente, esses particulados e incrustações podem alterar a qualidade da água do reservatório.

Como evitar o desperdício de água durante o procedimento de limpeza de caixas d’água e higienização de reservatórios? 

Sabemos que realizar a higienização de caixas d’água e reservatórios semestralmente é fundamental para garantir a saúde e bem-estar das pessoas que consomem a água armazenada, mas, muitas vezes, quando a operação é mal executada, podem ocorrer desperdícios desse recurso tão importante.

Por isso, é importante se planejar e verificar as três ultimas contas para ter uma média de consumo do mês, assim, saberá a capacidade do reservatório, podendo estimar quantos dias a unidade pode ficar com o registro de entrada fechado. Esse período permitirá um consumo consciente da água e assim, a empresa poderá executar a limpeza do reservatório que estará vazio.

Outro ponto essencial é a utilização de produtos químicos biodegradáveis, pois quando utilizamos produtos químicos biodegradáveis não há formação de resíduos pós desinfecção, garantindo a saúde dos consumidores e evitando o descarte de produtos químicos no meio ambiente. Dessa forma, utiliza-se um pequeno volume de água para enxágue.

Contaminação nas caixas d’água, entenda como resolver!

O risco de contaminação é amplamente conhecido em hospitais, indústrias alimentícias e farmacêuticas. Entretanto, o problema de transporte de microrganismos e substâncias químicas de um local para outro também pode ocorrer em reservatórios e caixas d’água, inclusive no seu processo de higienização. 

Esta contaminação pode acontecer por meio de utensílios, equipamentos ou mesmo pelas mãos que podem levar os contaminantes para os outros ambientes. Por exemplo, durante o processo de limpeza, quando um profissional lava um banheiro que foi exposto a bactérias (como Escherichia coli) e, em seguida, lava uma bancada com o mesmo pano, podendo contaminá-la.

Porém, essa contaminação em caixas d’água pode ocorrer durante o processo de manutenção, inspeção, higienização e limpeza dos reservatórios quando os equipamentos utilizados durante a operação como bombas, mangueiras, equipamentos de acesso e proteção individual (botas de borracha, luvas, macacão) que por erros operacionais e falta de manutenção adequada, foram contaminados por microrganismos ou produtos tóxicos em atividades anteriores. Por isso, o cuidado e o manuseio correto são fatores importantes na execução da limpeza.

Para resolver e minimizar os riscos de contaminação durante os processos de limpeza da caixa d’água, devem ser tomados alguns cuidados:

– Sempre que os reservatórios passarem por inspeção o responsável deve estar devidamente paramentado. Além disso, a roupa de proteção individual deve ser usada exclusivamente para a inspeção do reservatório de água potável; 

– Ao contratar um serviço de higienização de reservatórios e limpeza de caixas d’água priorize empresas que são especializadas em água potável.

Se a empresa não for especializada se informe se todos os equipamentos utilizados são reservados exclusivamente para trabalhos de água potável. Isso inclui todos os equipamentos de segurança, roupas de proteção individual, equipamentos de acesso e equipamentos de limpeza.

– Realize análises de água periodicamente para identificar possíveis contaminações químicas e microbiológicas. As análises de água são o ponto inicial para medidas corretivas. 

Como a qualidade da água diminuem os riscos de infecção hospitalar?

A água é utilizada em diversas atividades dentro de um hospital. Por isso, a sua qualidade pode influenciar no quadro de saúde dos pacientes. Existem muitos casos de infecções ligados à água contaminada que, por falta de manutenção e de um serviço de análise de água adequado, foi usada para atendimento ao paciente, especialmente materna e infantil, lavagem das mãos e limpeza de dispositivos médicos.

Algumas condições como acúmulo de biofilme, corrosão das linhas de distribuição, a falta de manutenção de tubulações e de limpeza de caixas d’água, envelhecimento dos sistemas de distribuição e estagnação da água podem contribuir para o desenvolvimento e propagação de microrganismos potencialmente patogênicos em hospitais.

Porém, podem ser realizadas medidas para diminuir o risco de infecção hospitalar, tais como:

– Realizar um programa de gerenciamento de água para hospitais;

– Fazer a dosagem de biocida (cloração), de modo a manter os níveis de cloro adequados na água para reduzir o risco de Legionella de vida livre e de outras bactérias potencialmente patogênicas;

Realização periódica de análises de água para verificar a presença de células bacterianas de vida livre potencialmente patogênicas;

Realizar a Limpeza de Caixas d’água e Higienização de Reservatórios periódica;

Limpeza e desinfecção de chuveiros, torneiras, bebedouros entre outros locais.

A importância da limpeza de caixas d’água com frequência

A limpeza de caixas d’água é um serviço que tem grande importância para o bem-estar dos consumidores, e principalmente por conta da saúde. Por isso, a periodicidade da higienização é um tópico relevante a ser reforçado e seguido.

O risco de desenvolvimento de micro-organismos, bactérias e vírus que são nocivos à saúde nos reservatórios de água se eleva caso a recomendação básica não seja respeitada; não só por conta da limpeza, mas também pela falta de cuidados entre as manutenções.

O ideal é seguir as indicações do Centro de Vigilância Sanitária que determinam que caixas d’água e reservatórios devem ser higienizados e desinfetados semestralmente. Esta frequência garante maior qualidade na entrega da água, mas não anula uma ou mais limpezas de caixas d’água extras, caso seja observada quaisquer alterações ou até mesmo a presença de corpos estranhos.

Além disso, os cuidados na manutenção também são muito importantes, principalmente com a tampa. Qualquer abertura compromete toda a vedação e expõe aquela água a sujeiras, objetos, animais e insetos que podem cair dentro da caixa e prejudicando todo o trabalho da higienização feita anteriormente.

É preciso também ficar atento com a qualidade da água e se ela pode estar infectada por alguma bactéria ou vírus, por conta da má preservação da higiene do reservatório. A análise de água pode detectar se existem essas contaminações e determinar o tratamento mais adequado para evitar surtos de doenças relacionadas à água.

Realizamos Higienização e Desinfecção de reservatório e caixa d’águas, conforme determinação do Ministério da Saúde, Portaria 2.914, com expertise e referência na área!

Cuide da saúde da sua família e também da sua empresa! A limpeza da caixa d’água é essencial para o bem-estar de todos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *