Como identificar e eliminar os mosquitos

Em nosso país, todo ano a preocupação é a mesma, mosquitos que transmitem doenças e como combatê-los. O motivo dos mosquitos, mais especificamente as fêmeas, terem os seres humanos como “alvo” é simples: alimentação. Os mosquitos precisam se alimentar para que seus ovos possam ser produzidos. São as fêmeas que se alimentam de sangue, seja ele humano ou não, pois os animais também não estão livres de picadas, que é justamente a forma de se contrair doenças através do mosquito.   

Conhecer as espécies de mosquitos que são mais comuns no Brasil é de grande importância, afinal, a informação ajuda na prevenção desses invasores que podem complicar muito a nossa vida. Mesmo com seu pequeno tamanho, os mosquitos possuem características distintas, que ajudam a identificar o perigo.  

Aedes aegypti 

O mosquito que mais assombra os brasileiros, o Aedes aegypti, é sem sombra de dúvida o mais conhecido em nosso país. Sua péssima fama se dá por conta das doenças que o mosquito transmite, como dengue, febre amarela, zika e chikungunya.  

A vida desse mosquito que voa baixo dura em torno de 30 dias, tempo o suficiente para poder colocar até 200 ovos. Sua forma de proliferação é muito rápida, quando menos se espera, outros aparecem durante tempos úmidos e quentes. 

O Aedes aegypti é um mosquito silencioso de asas translúcidas e de menor tamanho em comparação com os mosquitos comuns. Sua coloração é preta com listras brancas. Leva de 6 a 8 dias para chegar na fase adulta. 

Aedes albopictus 

O mosquito Aedes aegypti não é o único que transmite a dengue, já que o Aedes albopictus, também conhecido como “mosquito tigre asiático”, é outro mosquito que pode transmitir a doença, além disso, ele também transmite a febre amarela. É mais comum que o primo do Aedes aegypti pique animais.  

Nas últimas três décadas, este mosquito tem chegado a muitos lugares do mundo, como países das regiões Américas e do Mediterrâneo, por exemplo. Seu aparecimento acontece mais em áreas silvestres e rurais, mas o Aedes albopictus pode chegas às cidades mais próximas.  

Sua coloração é escura e tem cerca de 3 a 10 mm de comprimento. Possui uma única linha branco-prateada que começa na cabeça e continua no lado dorsal do tórax. Seu ciclo completo de vida ocorre em duas semanas. 

Anopheles 

Esta espécie já foi responsável por terríveis pandemias, o motivo foi a transmissão da malária. De acordo com registros históricos da China e do Egito, a malária já estava assombrava o mundo em 2700 e em 1570 Antes de Cristo, respectivamente. Mas não é só de malária que vive o Anopheles, este mosquito também pode transmitir filariose linfática. 

Sua preferência é por temperaturas altas, algo em torno de 20 a 30 graus. Vive cerca de 30 dias, assim como o Aedes aegypti, e coloca 200 ovos de uma só vez. Se trata de um mosquito que tem preferência por sangue humano. Costuma picar no entardecer e no horário da noite.  

Possui cor de palha, asas entreabertas no pouso e costuma dormir com o abdômen virado para cima. Outra característica que distingue o Anopheles de outros mosquitos é a presença de palpos, que é um órgão bucal com função sensorial. Demoram de 6 a 10 dias para chegarem à fase adulta. 

Culex quinquefasciatus 

Conhecido em algumas regiões do Brasil como muriçoca e pernilongo, o Culex quinquefasciatus possui hábitos noturnos, perturbando as noites de sono de muita gente, já que seu zumbido é bastante estridente e difícil de ignorar quando o mosquito se aproxima.  

Engana-se quem pensa que as famosas muriçocas são inofensivas e causam apenas uma coceira onde picam. Estes mosquitos podem causar doenças como febre do Rio Nilo, filariose, febre de Mayaro, entre outras enfermidades. O motivo é fácil de explicar, o Culex quinquefasciatus passa por lugares absurdamente sujos, como esgotos a céu aberto e locais com água contaminada, um favorito do mosquito. Ele também tem preferência por organismos em decomposição. 

Possui coloração marrom, com pernas lisas e sem listras, podendo chegar até a 10 mm de comprimento. Seu ciclo completo de vida ocorre entre duas semanas e um mês. 

Haemagogus 

Outro mosquito com expectativa de vida em torno de 30 dias, conhecido por transmitir a febre amarela. Seu habitat é a copa de árvores, local de onde pode se alimentar do sangue de animais selvagens que circulam pela área. É também na copa de árvores que o Haemagogus coloca seu ovos, o mesmo pode acontecer em galhos caídos. 

Além de seu hábitos noturnos, um dos motivos para a primeira epidemia de febre amarela no Brasil, no ano de 1685, foi o fato do mosquito conseguir voar por cerca de 5km, apesar de seu tamanho médio ser de 5mm. 

Sua coloração no tórax pode variar entre violeta, verde e prateado.  

Sciaridae 

Apesar de assustarem quando aparecem, os insetos pertencentes à família Sciaridae não transmitem doenças aos seres humanos, mas atrapalham plantações e podem se proliferar com rapidez, gerando uma infestação. 

Nos meses mais quentes do ano, esse mosquitos podem infestar estoques de toras, causando desconforto e prejuízos. Também podem aparecer em produções de cogumelos ou em casas de vegetação onde, ainda em forma de larvas, danificam os tecidos vegetais e transmitem microrganismos patogênicos, causando a redução da produção.  

Os adultos vivem de 7 a 10 dias e possuem coloração escura, o que faz com que sejam conhecidos como mosquitos pretos. Seu voo não tem boa qualidade e é desnorteado, muitas vezes são vistos correndo em superfícies de plantas. 

Como se livrar dos mosquitos 

Em alguns casos, não basta apenas saber reconhecer cada mosquito, certas situações só podem ser resolvidas com uma total dedetização. Você tem problemas com mosquitos? A Folha Dedetizadora consegue te ajudar! Nossos profissionais são treinados e têm em mãos produtos de alta qualidade, autorizados e registrados no Ministério da Saúde e licenciados pela ANVISA, para promover a sua segurança, ao mesmo tempo que garantimos que sua casa ou estabelecimento fique livre dos mosquitos.  

Entre em contato e peça seu orçamento: 

(61) 33891411   

(61) 98575-9685 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *